Paralisia do sono afeta cerca de 7% da população em geral

Paralisia do sono afeta cerca de 7% da população em geral
Imagine acordar mas não conseguir se mover ou sair da cama. Mexer os olhos é a única coisa que você pode fazer. É essa característica a marca registrada da paralisia do sono.

Quando acontece?

O quadro pode estar associado a uma doença mais rara, a narcolepsia. A condição provoca sonolência excessiva, ataques de sono, perda de tônus muscular com quedas ao solo (cataplexia) e sono ruim à noite. O sono do ser humano é divido em dois estágios: REM (sigla em inglês para “movimento rápido dos olhos”) e não REM. No primeiro, o cérebro está acordado, mas o corpo paralisado – esse é o período em que ocorrem os sonhos. Já no segundo, o cérebro permanece em descanso, mas o corpo ainda se movimenta. O transtorno ocorre quando o indivíduo, por algum motivo, acorda na fase REM, ou seja, o cérebro desperta, mas o corpo ainda não entendeu a mensagem de que ele pode se mexer. • Alguns pacientes relatam sofrer alucinações durante os episódios. Mas isso é um dos sintomas da narcolepsia, e não da paralisia do sono.

Causas

A principal é a privação de sono. Outros diagnósticos apontam uma relação do transtorno com quadros como ansiedade extrema e psicose e pode afetar tanto homens quanto mulheres de todas as idades. Porém, é mais comum em adolescentes (17 anos) e adultos jovens (21 e 22).

Como é o tratamento?

O meio mais natural é ter boas horas de sono. Caso a condição esteja associada à narcolepsia, medicamentos antidepressivos são utilizados para bloquear a fase REM.

O que fazer se você passar por isso?

• Primeiro, a pessoa deve entender que o episódio dura poucos segundos, apesar de parecer uma eternidade para quem está sendo afetado. • Controle a respiração. • Mantenha a calma. • Procure mexer os olhos rapidamente para, aos poucos, reativar a musculatura.

Horas de sono: Estudos apontam que um adulto deva dormir, em média, de sete horas e meia a oito horas e meia. Já para adolescentes, o período deve ser de nove a 10 horas.

Conforme o neurologista e coordenador do Centro de Distúrbios do Sono do Hospital Moinhos de Vento, Geraldo Rizzo, a paralisia do sono afeta cerca de 7% da população em geral. Fonte: Clic Rbs

Olá!

Gostamos de manter você bem informado, por isto cadastre aqui seu email para continuar a acessar nosso blog.


Ao assinar, você concorda com a nossa política de privacidade.

[time] atrás, de [location]
Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência em nosso site. Ao clicar em aceitar, você concorda com a nossa Política de Privacidade
Inscrição realizada com sucesso!
Este e-mail já foi registrado.