Mindfulness - Vivendo o presente de modo intencional ūü߆

Mindfulness - Vivendo o presente de modo intencional ūü߆

Foi nos √ļltimos anos que a pr√°tica do mindfulness veio ganhando abrang√™ncia em todo canto do mundo, contudo, embora tenha conquistado mais adeptos do que nunca recentemente, os m√©todos de medita√ß√£o e concentra√ß√£o j√° s√£o bem antigos, sendo encontrados em escritos provenientes de diversas religi√Ķes como budismo, juda√≠smo e at√© mesmo no cristianismo.¬†

Afinal, do que realmente se trata essa pr√°tica?
Mindfulness significa concentra√ß√£o plena. √Č um momento que separamos para experimentar a quietude e liberar os pavimentos da nossa mente limpando o tr√Ęnsito (e as buzinas) dos pensamentos enquanto pontuamos toda nossa aten√ß√£o em uma s√≥ coisa, estando com a consci√™ncia plenamente presente no que estamos realizando, s√£o minutos em que alinhamos nossa postura e respira√ß√£o (que geralmente √© o movimento no qual focamos) e iniciamos o processo.¬†

A prática tem o intuito de começar com essa concentração em um ambiente solitário e passo-a-passo tornar-se uma prática intencional e cotidiana, para estar sempre presente no que estamos fazendo. 

Porquê eu deveria fazer?
N√£o podemos discordar que nos √ļltimos anos, com o avan√ßo dos meios midi√°ticos, a multiplica√ß√£o das fontes de entretenimento e conhecimento acabam fragmentando muito as nossas rela√ß√Ķes interpessoais e nossa gest√£o de n√≥s mesmos, nos fazendo operar no modo ‚Äė‚Äôvida leva eu‚Äô‚Äô.

Acontece que, quando acabamos por entrar no piloto automático, passamos pelas experiências da vida sem realmente estar ali.

√Č como se a nossa mente fosse uma crian√ßa que foi sorteada para ir a um jantar em um bom restaurante e foi dito a ela que seu pr√™mio garantia uma entrada, prato principal e sobremesa. Ao chegar no restaurante, com fome e querendo ser surpreendida pelos pratos, engole a entrada enquanto pensa no prato principal que logo chega e √© atropelado para dar lugar a sobremesa, sem perceber direito nem a cor do garfo, n√£o vive a real ess√™ncia do pr√™mio.

¬†Isso √© mais ou menos o que a maioria das pessoas fazem ao acordar, segmentam seus dias e tarefas sempre pensando no que vem depois, e descartam a beleza que existe em abrir os olhos, sentir o vento, tocar o ch√£o por estarem sempre com a mente em tr√Ęnsito, visitando o que j√° foi e o que ainda n√£o √©, pulando pra dentro de suas rotinas almo√ßam com os familiares pensando ou bisbilhotando o que √© que est√° acontecendo na vida de alguma celebridade, escovamos nossos dentes por obriga√ß√£o higi√™nica mas nossas mentes j√° est√£o vagando longe, vamos tomar banho e muitas vezes nem percebemos a formosura que existe no contato da √°gua com a pele porque estamos com a cabe√ßa no que vamos fazer depois.

Quando ficamos muito tempo assim, sem perceber, come√ßamos a entrar em um looping de stress, ansiedade e mau humor, pois estaremos sempre vivendo de proje√ß√Ķes e os bons momentos v√£o passando sem que a gente perceba.

Por isso a import√Ęncia de parar, respirar, exercitar a concentra√ß√£o e adentrar na dimens√£o da calmaria e explorar um novo estado de paz. O mais fascinante de tudo isso √© que n√£o existem dificuldades excessivas para encontrar essa sa√ļde mental. O nosso pr√≥prio corpo nos ajuda no processo.

Um presente para o cérebro!
A ci√™ncia aponta que o mindfulness contribui para o relaxamento da rigidez cognitiva, aflorando novas ideias e solu√ß√Ķes para diferentes desafios e estrat√©gias.

Além de que, quando desenvolta, essa prática melhora o humor juntamente com a capacidade de empatia, afinal, estar presente no momento amplia as perspectivas de compreensão nos relacionamentos interpessoais.
Mais do que isso, a pr√°tica da aten√ß√£o plena reduz os sintomas de pessoas com transtorno bipolar e diminui as condi√ß√Ķes de ansiedade.
A parte mais animadora é que esse retorno para o agora e essa atenção plena não ocorrem por técnicas que requerem altos investimentos nem desgaste físico, basta o foco e a determinação e deixar seu próprio corpo trabalhar, existem pelo menos 3 exercícios primordiais para treinar o mindfulness:

¬įSente e respire: em um ambiente quieto, sente toque o ch√£o com seus p√©s e inspire pelo nariz lentamente, expirando com suavidade pela boca. Se concentre no percurso que o ar faz ao entrar por suas narinas, visitando seus pulm√Ķes e na sua sa√≠da pela boca, o foco nisso vai te trazer ao presente. Afinal, um dos motivos pelos quais nos distra√≠mos facilmente em alguns momentos √© justamente por conta de uma respira√ß√£o desordenada.

Os s√°bios dizem que ‚Äė‚ÄôO nariz √© uma √Ęncora para o presente‚Äô‚Äô, ent√£o o que devemos fazer √© aproveitar e valorizar que tudo o que precisamos para viver o agora de um jeito bom j√° est√° ao nosso alcance.

¬įSinta a si mesmo: esse exerc√≠cio mostra que o mindfulness n√£o √© somente algo que fazemos parados ou em isolamento, mas, que pode ser exercitado enquanto estamos ativos em nosso cotidiano, dando aten√ß√£o e intencionalidade aos nossos movimentos.¬†
¬įCaminhe ao ar livre: andar e sentir a vida tocando em nosso corpo atrav√©s de diferentes fen√īmenos, seja a brisa suave, a chuva, o calor do sol e at√© mesmo o frio. Se expor por querer e focado na movimenta√ß√£o do caminhar √© experimentar o foco por uma nova perspectiva.


Potencializando o bem-estar
O Flux Air e sua leveza potencializam sua experi√™ncia com a respira√ß√£o e com a influ√™ncia do ar em plenitude nos seus pulm√Ķes ao passo que te permite uma experi√™ncia ainda mais concentrada na respira√ß√£o pela dilata√ß√£o e alinhamento que nosso nariz passa a evidenciar.



Ol√°!

Gostamos de manter você bem informado, por isto cadastre aqui seu email para continuar a acessar nosso blog.


Ao assinar, você concorda com a nossa política de privacidade.

Inscrição realizada com sucesso!
Este e-mail j√° foi registrado.