Fisioterapia respiratória?

Fisioterapia respiratória?

A fisioterapia é uma ciência da Saúde que estuda, diagnostica, avalia e trata o indivíduo com problemas cinéticos funcionais intercorrentes em órgãos e sistemas do corpo humano, gerados por alterações genéticas, por traumas e por doenças adquiridas. Desse modo resolve as dores e lesões de diversas áreas do corpo, e como parte desse ramo maravilhoso da saúde, existe um tipo específico chamado de Fisioterapia Respiratória.


Nos últimos dois anos vimos tudo o que envolve os cuidados com o sistema respiratório alcançar uma visibilidade como nunca antes, já que o assunto conversa diretamente com o foco da última pandemia global que atingiu a humanidade, crises na respiração.


Tem sido uma solução para os procedimentos pós-covid e que funciona como um fortalecedor dos pulmões para pacientes em fase de recuperação.


Eu tenho que fazer?

Quando se fala em fisioterapia respiratória, duas coisas principais vem a mente:

  1. Cuidar de um problema sério no pulmão
  2. Deixar o pulmão mais resistente depois de algum problema

Elas estão corretas, mas, na verdade, esse tipo de fisioterapia não precisa deixar para ser feita somente por quem está acometido por alguma doença ou se recuperando de uma sequela. Esse tipo de tratamento pode ser feito como um fortalecedor, como um método preventivo mesmo, afinal os músculos do diafragma e das costas são responsáveis pelo sistema respiratório e podem ser treinados para trabalharem com mais dinamismo.

Ou seja, a influência preventiva e fortalecedora desse tipo de habilitação pode ser feita em vários casos. Seja em quem estava acometido com alguma doença, atletas que buscam melhores performances ou quem está procurando tonificar e potencializar a musculatura que soma ao sistema respiratório. Talvez você não tenha que fazer, mas, sim, você pode fazer.


É tipo uma inalação ou uns tapinhas nas costas?

Bom primeiro é legal a gente começar esclarecendo o mito do tapinha nas costas. Não sei se você sabia mas essa ‘’técnica’’ já até caiu em desuso por parte do médicos, afinal não é nos tapas que os bebês vão passar a respirar, a respiração acontece como um processo natural e caso o neném venha esteja com algum probleminha para respirar, é feita uma massagem e alguns estímulos com os seus bracinhos e perninhas para tudo voltar ao normal. Bom, dados os devidos esclarecimentos vamos aos métodos utilizados.

Esse tipo de fisioterapia pode ser feita com o auxílio de um aparelho onde você assopra e observa o movimento das bolinhas que ficam dentro de uma pequena plataforma de plástico e também pode usar de meios naturais como exercícios concentrados de controle da respiração. 

Em termos mais específicos existem a fisioterapia respiratória ambulatorial, domiciliar e hospitalar, sendo definidas assim:

Ambulatorial: Feita nas clínicas com objetivo de promover leveza e alívio em doenças crônicas como asma e até mesmo problemas relacionados ao coração. Variando da sugestão médica, ela deve ser realizada de uma ou duas vezes por semana até que o potencial respiratório seja recuperado.

Domiciliar: Sugerida para quem teve alta hospitalar mas ainda estão com dificuldades na respiração ou ocorrências no coração. A indicação é que seja realizada também de uma ou duas vezes na semana com um fisioterapeuta que opere em home care, podendo ser tratado com aparelhos que mobilizam a secreção, fluidificam e facilitam a sua retirada, como o flutter e o nebulizador, e indicar a realização de exercícios que estimulam a respiração forçada. Nos demais dias segue a prescrição de praticar exercícios como cinesioterapia (movimentações físicas combinadas com respiratórias) por conta própria.

Hospitalar: Esse tratamento é feito em pacientes que estão acamados em leitos de hospitais, como geralmente trata-se de um processo mais delicado, é feita pelo menos uma sessão diária de fisioterapia respiratória como forma de prevenir o aparecimento ou agravamento de demais problemas respiratórios e melhorar a função pulmonar.

De modo geral, a prevenção e recuperação de doenças podem ser antecipadas com esses cuidados.


Além da dor

 Como já citado, não somente quem está passando por problemas na saúde são orientados a fazer esse tipo de procedimento, esse tipo de tratamento envolve também atletas, uma vez que o desempenho cardiorrespiratório é muito exigido em várias modalidades.

 Um artigo publicado em 2018 orientado por um especialista sobre Fisioterapia em UTI cita melhoria evidente em atletas que se submeteram ao procedimento, o artigo alega:

‘’a fisioterapia respiratória tem papel colaborativo importante, através de exercícios e treinos respiratórios específicos, podendo assim, repercutir positivamente na mecânica respiratória de atletas, unindo assim, intervenção multidisciplinar com a educação  física,  associando técnicas  da  fisioterapia  respiratória ao  gesto  esportivo, agregando o treinamento respiratório ao treinamento técnico desportivo’’

Pois é, potencializar resultados em atividades físicas pode ser fruto de um bom cuidado com sua respiração, e para finalizar, aqui vão alguns benefícios da fisio respiratória na prática de esportes:

 Fortalecimento na musculatura inspiratória.

  • Melhoria na resistência em atividades físicas, diminui a falta de ar.
  • Gera mais qualidade de vida e disposição para a prática de exercícios.
  • Melhora a performance e desempenho potencializando a musculatura respiratória.

Bom, já que todos podem fazer e só existem vantagens. É só começar!

Olá!

Gostamos de manter você bem informado, por isto cadastre aqui seu email para continuar a acessar nosso blog.


Ao assinar, você concorda com a nossa política de privacidade.

[time] atrás, de [location]
Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência em nosso site. Ao clicar em aceitar, você concorda com a nossa Política de Privacidade
Inscrição realizada com sucesso!
Este e-mail já foi registrado.