Como prevenir a rinite alérgica durante a primavera

Como prevenir a rinite alérgica durante a primavera
A primavera é esperada por alguns por ser uma estação bela e cheia de cor, mas temida por outros, pois a chegada dela remete à rinite e a outras inflamações da mucosa nasal. O otorrinolaringologista do Hospital Otorrinos Curitiba, Dr. Diego Malucelli, falou sobre os principais sintomas desse problema.
Olhos irritados, coceira no nariz, coriza e espirros constantes são as principais indicações de rinite. Com a chegada da primavera, a explosão de pólen (fenômeno típico da estação) é o gatilho para o início das reações alérgicas. O pólen liberado pelas flores entra em contato com a mucosa respiratória e provoca as crises. Lembrando que existe predisposição genética para alergia, ou seja, filhos de pai e mãe com alergia têm 50% mais chances de desenvolver a doença”, explica o especialista.
O otorrino lembrou, ainda, que a poeira e os ácaros são os principais vilões da rinite alérgica. “Quem tiver hipersensibilidade a essas substâncias poderá apresentar crise de rinite alérgica. Outros agentes podem ser causadores, mas em menor escala. Há, ainda, as rinites perenes, que são durante todo o ano, como é o caso de sintomas à exposição diante de animais domésticos, como cães e gatos”, ressaltou.

Rinite e coronavírus: existe relação?

A pandemia do coronavírus tem trazido muitas dúvidas, principalmente para aqueles pacientes que têm problemas respiratórios e inflamações constantes das vias respiratórias. É o caso de pacientes com rinite, por exemplo. Eles não estão no grupo de risco da Covid-19, no entanto, ficam mais suscetíveis a infecções virais, podendo se normalizar com o tratamento adequado. Segundo a alergista e imunologista do Hospital Otorrinos Curitiba, Dra. Cristine Rosário, o principal cuidado para quem tem rinite nesses períodos de grande circulação de vírus respiratórios é o isolamento.
“Quem tiver sintomas respiratórios (coriza, espirros, tosse, febre) deve ficar em casa, a não ser que apresente algum sinal de gravidade, como falta de ar ou dificuldade para respirar”, ressaltou.
Diferença entre rinite e coronavírus Outra dúvida muito comum é sobre a diferença entre a rinite e o coronavírus. A rinite alérgica é um quadro crônico que, geralmente, começa na infância. O paciente tem coceira no nariz, espirros, nariz trancado, podendo ter também coceira nos olhos e tosse seca. A febre não é um sintoma de rinite, e ela não é transmissível. Já a infecção por coronavírus é um quadro agudo, que se manifesta por febre, tosse seca, coriza, mal-estar e passa de pessoa para pessoa. Quem tiver esse quadro deve ficar em casa e evitar contato com outras pessoas. Se houver sintomas graves, deve procurar atendimento médico. Prevenção A rinite alérgica tem tratamento, mas não tem cura. Se tratada corretamente, o paciente pode viver sem os sintomas e ter uma qualidade de vida melhor. Para prevenir as crises alérgicas, a melhor maneira é evitar o contato com substâncias que causam alergia, como poeira, pelos de animais, fumaça de cigarro, produtos de limpeza e, em alguns casos, até perfumes.
“Quando a primavera se inicia, medidas simples como higienizar o nariz com soro fisiológico várias vezes ao dia pode ajudar muito na profilaxia. Também lembrar de ingerir bastante água ao longo do dia, e manter os ambientes sempre limpos e arejados”, completou o doutor Diego.
Fonte: otorrinoscuritiba.

Olá!

Gostamos de manter você bem informado, por isto cadastre aqui seu email para continuar a acessar nosso blog.


Ao assinar, você concorda com a nossa política de privacidade.

[time] atrás, de [location]
Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência em nosso site. Ao clicar em aceitar, você concorda com a nossa Política de Privacidade
Inscrição realizada com sucesso!
Este e-mail já foi registrado.