A parceria entre o Jejum intermitente e exercícios físicos

A parceria entre o Jejum intermitente e exercícios físicos

 

Sabe-se que os exercícios físicos são de fato essenciais para a vida como um todo e os seus benefícios são muito abrangentes, fortalecendo músculos, regulando os sistemas e ajustando várias funções. 

Existem inúmeros motivos pelos quais alguém começa a praticar um exercício físico, e temos que concordar que um dos mais recorrentes é a queima de gordura corporal.
Acontece que um dos métodos realmente eficientes para que essa queima aconteça é conciliar o treino com uma boa dieta. Todos os dias aparecem milhares de dietas circulando pela internet e nem todas elas são realmente efetivas para a saúde e fortalecimento, e, no meio desse tanto de informações, esquecem de uma prática simples e verdadeiramente impactante na queima de gordura e pode prevenir doenças crônicas, potencializar a memória e melhorar os níveis de energia, o jejum intermitente.


                                                          Como fazer?
Essa prática possui variadas formas de ser feita, uma das mais recomendadas é o jejum 16:8, onde todas as refeições do dia são enquadradas em 8 horas e as outras 16 são passadas sem a ingestão de alimentos.

 Talvez lendo assim você pense que passar 16 horas sem comer é muito tempo, na verdade, considere que pelo menos 8 dessas horas você estará dormindo, e nas outras seu organismo continuará ‘’queimando o estoque’’, deixando seu dia mais leve e - talvez um pouco faminto no começo - mas isso faz parte do processo reeducação do metabolismo, no caso de pessoas que não estejam fisicamente prontas para fazer deste um hábito cotidiano, a melhor opção é começar fazendo de 2-3 vezes na semana. 

A ideia do jejum intermitente é que as refeições sejam adequadas ao seu contexto levando em consideração seus hábitos de exercícios físicos e seu gasto calórico. Para alguém que faz musculação focado na hipertrofia, por exemplo, o jejum intermitente dificilmente será uma opção tão boa quanto para quem pratica corrida, bike ou caminhada em níveis regulares. Certamente no caso de atletas de alta performance não se descarta a consulta com um nutricionista.

Baseado em fatos científicos
Dietas que pregam o jejum são comuns para a perda de peso, mas, agora, estudos sugerem que a prática pode contribuir para o aumento da expectativa de vida.
Um grupo do pesquisador Benjamin Horne disse em uma entrevista que as pessoas que se abstém rotineiramente de alimentos apresentam menor risco cardiovascular.
Yoshinori Ohsumi é o nome do biólogo nobel de medicina do ano de 2016. Ele mesmo diz que o jejum aumenta a longevidade pois as células entram em um processo de autofagia, em uma longa pesquisa concluiu o impacto extremamente positivo na saúde. 

Mas, e o exercício?
O foco desse blog não é somente no jejum, mas também nos exercícios, porque é ali onde as mudanças vão caminhar juntas. Naturalmente depois de comer, o corpo se ocupa em digerir o alimento e acaba deixando a queima de calorias gerada pelos exercícios à parte. 

O corpo consome os carboidratos recentemente ingeridos para usá-los como fonte de energia ao invés de queimar gordura já existente no tecido adiposo, porém quando você se exercita após um longo período em restrição alimentar e o treino diário é agregado ao jejum, seu corpo trabalha de forma otimizada, o organismo não tem a glicose disponível no sangue para servir como fonte de energia e passa a utilizar a gordura como fonte prática para aquele momento, fazendo dela uma espécie de combustível, queimando a gordura e estimulando o emagrecimento.

Esse hábito ajuda na liberação de hormônios que ajudam o corpo a soltar mais energia armazenada (a gordura corporal), gerando transformações favoráveis no nosso organismo, reforçando a longevidade saudável.

Para começar bem
Para os iniciantes, o mais indicado são os exercícios de menor intensidade, como a caminhada e, dependendo do condicionamento físico de cada um, a corrida. As mudanças na saúde física e mental vão aparecendo no decorrer dos dias então, não desista! Os treinos e cuidados com o corpo sempre valem a pena. 

Pra você, que está determinado a unir o jejum intermitente com os exercícios, vamos te dar um conselho final: Seja persistente! A constância é parceira do resultado e, sempre que vamos inserir um novo hábito em nossas vidas, é bom começar deixando as desculpas de lado e experimentando a vida de um jeito mais positivo. E quando falamos em constância, estamos nos referindo também à constância durante seu treino e controlar a respiração é a melhor forma de manter seu ritmo até o final. 

 

Olá!

Gostamos de manter você bem informado, por isto cadastre aqui seu email para continuar a acessar nosso blog.


Ao assinar, você concorda com a nossa política de privacidade.

Inscrição realizada com sucesso!
Este e-mail já foi registrado.