A música influencia nos treinos?

A música influencia nos treinos?

Você também é daqueles que não funciona sem música?
Correndo em volta da quadra, em um treino intenso, dando uma varrida na casa ou caminhando até o ponto de ônibus, parece que falta uma parte de nós quando não tem uma musiquinha tocando né?
Relaxa, embora pareça assustador, isso não é nenhum tipo de vírus, sina ou patologia - ok, posso estar exagerando um pouquinho nos termos - mas, a verdade é que gostamos tanto assim de fazer atividades acompanhados pelas frequências musicais por que ela é um estimulante natural que nos ajuda a entrar em determinados estados mentais para aproveitarmos atividades de diferentes maneiras. 

Estimulante Natural?
Isso mesmo, ouvir música durante o treino coloca o corpo em um ritmo mais elevado e tem capacidade de projetar nossa mente para outro ambiente embora estejamos ali fazendo um exercício concentrado, quem nunca esteve paradinho dentro de um ônibus quando aquela playlist romântica dramática invadiu seu fone de ouvido e te levou a imaginar que estava na cena de um clipe?
Esse mesmo efeito ocorre também em um treino intenso, a música acaba deixando os níveis de foco e imaginação mais concentrados gerando um ânimo e disposição completamente influenciados pelo som que estamos ouvindo, outro fenômeno bem legal é que na maioria das vezes a música muda a nossa noção de tempo pois os pensamentos ficam mais positivos e confiantes, o que, em treinos de corrida por exemplo, nosso desempenho renda bem mais sem que a sensação de desgaste seja devastadora.
Fica tranquilo, a gente não vai ficar só no campo das ideias, existem alguns experimentos que validam essas conclusões que citamos aqui.

Um pouquinho de ciência ajuda
Alguns estudos apontam que os efeitos da música em exercícios físicos assumem o lugar de soluções químicas para aumento do desempenho e foco, isso porque as pesquisas concluíram que as vibrações musicais têm efeitos diferentes no caráter neural, sons com a vibe mais lenta surtem um efeito relaxante e as mais rápidas despertam estímulos mais intensos.
‘’Estado de flutuação’’, é o nome dado ao conjunto desses sintomas, é bem aí que o atleta é imerso nos melhores efeitos que a música causa num organismo em movimento, quando atinge esse estágio, endorfina, dopamina e serotonina entram no seu treino trazendo na bolsa as seguintes sensações:
Felicidade;
Ânimo;
A despedida da depressão, raiva, tensão e cansaço, que vão fazendo fila para ir embora.  

Provas e mais provas
Um estudo extremamente relevante realizado em 2010 endossou o tema
‘’Os efeitos psicofísicos da música no exercício’’ e apontou um aglomerado de trabalhos de outros pesquisadores que fluíram no mesmo tema, os especialistas apontaram que, em determinado experimento com caminhada em grupo com um fundo musical, notou-se uma melhora na coordenação motora do que quando não existe fundo.      

Comprovadamente a sequência do gênero e ritmo da playlist escolhida podem influenciar na motivação com a qual o exercício será executado.
Sabe aquela sensação de que você foi arrebatado de uma dimensão para outra quando está fazendo algo que gosta muito? Então, o psicólogo Mihaly Csikszentmihalyi cunhou essa sensação como ‘’fluxo’’, que, segundo ele, é quando o indivíduo estaria intrinsecamente motivado e totalmente envolvido e absorvido na atividade, e durante a experiência de “fluxo” ou “fluência” haveria uma contração do campo perceptivo, um aumento da autoconsciência e do sentido de fusão com a atividade e com o ambiente, sendo um estado muito positivo e prazeroso. 

Em qual lugar do cérebro?
No experimento feito com a música no treino, o giro frontal inferior esquerdo – parte do cérebro que processa informações de fontes externas e internas – foi ativado em resposta à música.
A leitura dos pesquisadores é de que isso ocorreu por conta dessa área estar ligada aos processos emocionais, eles ainda descobriram que, quanto mais ativa ela ficava, menos os participantes sentiam exaustão.

Você sabia?
A música tem o potencial de:
Ativar sua lembrança motivacional para treinar;
Quando a batida é sincronizada, seu corpo tende a acompanhar o ritmo durante o exercício;
O cansaço demora mais para aparecer quando se tem música no exercício.

Dicas pra finalizar ;)

Aqui vão algumas sugestões de melodias e gêneros para você combinar com o tipo de exercício que pratica:

Caminhada: Se a caminhada for tranquila, com foco em um retorno para um ritmo mais avançado mais para frente, é legal optar por algo animado adicionando à sua playlist temas como Maroon 5, Bruno Mars, Coldplay e Milky Chance.

Corrida: Na corridinha, geralmente exigimos um pouco mais do nosso corpo, precisamos de um foco maior nas trocas gasosas e na inspiração e para manter o ânimo aqui a gente recomenda você a ir correr com o Calvin Harris, David Guetta, Alok e Imagine Dragons.

Musculação: Na musculação a recomendação é uma batida mais marcante, se eu fosse você já ia inscrevendo o Kanye West, Lecrae, L7nnon e o Eminem na sua academia.

Funcional: Esse tipo de treino que combina força e intensidade geralmente ficam mais animados quando o som é feito de uma melodia sólida, firme e dinâmica, ir para o box com Red Hot Chilli Peppers, MGMT, System of a Down e o Daddy Yankee com certeza vai render um bom treino.

Meditação: Exercícios dessa ordem são muito bons para um alinhamento na mente e no corpo, a prática da meditação acompanhada por ritmos musicais leves tendem a fazer com que o momento tenha um bom resultado, nessa hora é bom colocar frequências como 432Hz, 741Hz, Sons de chuva e acústicos leves são muito bons.

E por hoje é isso mesmo, espero que você tenha curtido e aproveite para colocar um novo ritmo nos seus exercícios, vai pra cima.
Sair para treinar, é só começar.

Olá!

Gostamos de manter você bem informado, por isto cadastre aqui seu email para continuar a acessar nosso blog.


Ao assinar, você concorda com a nossa política de privacidade.

Inscrição realizada com sucesso!
Este e-mail já foi registrado.