A incrível capacidade do ser humano em inovar nos esportes

A incrível capacidade do ser humano em inovar nos esportes

O BigBang do esporte

Nem todo mundo sabe mas o esporte é algo muito mais antigo do que imaginamos, conseguimos ver fragmentos dele presente em atividades que fazíamos lá nos tempos mais remotos.

Nossas caminhadas que se transformavam em corridas quando íamos para a floresta caçar o próximo almoço, ou passar horas plantando o rango que viria dali uns meses denunciam que as atividades físicas intensas sempre acompanharam os caminhos na nossa existência. 

No decorrer das transições e ampliações da concepção humana quanto ao mundo a sua volta, novos sentidos foram sendo atribuídos e os exercícios iam sendo exigidos como método de preparo para guerreiros, defesa das tribos e povos e posteriormente como um modo de levar o corpo a usar do potencial contido em si.

 Essas práticas pré-esportivas mostram que os exercícios feitos por questão de sobrevivência foram aos poucos percebendo a ligação natural que possuíam com o lazer e saúde, se tornando comuns e se atrelando à evolução na esfera anatômica, biológica e até mesmo espiritual.


3,2,1... partiu!

Foi dentro desse contexto que nasceram as olímpiadas, possuindo como um sinal inicial o culto aos deuses do olimpo através da aptidão de cada atleta.

Os primeiros jogos olímpicos surgiram na cidade de Olímpia, a partir de 779 a.C. começaram com a duração de um dia e só possuía a modalidade de corrida 200m rasos, os dias foram sendo estendidos de acordo com a aplicação de outras modalidades.

Por conta de contradições do imperador Teodósio, os jogos foram banidos em 394 d.C. sendo reformulados e colocados em prática novamente só em 1894 pelo educador e entusiasta do esporte Pierre de Coubertin, sendo um dos marcos da Era Moderna.

Atualmente a competição inspira milhares de pessoas a uma integração na vida dos esportes, além de despertar a criatividade para praticar esportes com o que se tem acesso estimulando a coletividade e o espírito esportivo e embora não possua uma hora certa para brincar, competir ou embarcar na jornada do desporto, temos visto cada vez mais jovens se tornando prodígios em potencial ao ingressarem na vida esportiva, você pode saber mais sobre essa matéria aqui: O futuro do Esporte.

Fato Curioso*
Uma fenômeno interessante da história olímpica são as trocas e alterações de esportes que transitam entre elas, hoje na verdade se tem uma constância maior quanto ao que é inserido na competição, e, eu não sei se você sabia, mas teve olimpíada que já fez competição até de tiro ao pombo. 
Isso mesmo, em 1900, após receber 55 inscrições, onde somente 4 participaram - afinal, a competição foi duramente criticada - mais de 300 pombos foram abatidos, foi a primeira e última vez que a competição envolveu a morte das aves e suficiente para entender que era uma loucura que fugia da energia esportiva.

 Por mais aleatório que isso pareça, existem ainda outros esportes - menos agressivos e mais divertidos - que também já fizeram parte da competição, e entram para essa lista: 

 Cabo de guerra

           
Viu só? Agora você já sabe porquê as competições da escola tinham um sabor olímpico diferenciado. O Esporte que por muitos é visto como ‘’coisa de gincana’’, na verdade já foi disputa a nivel mundial.

Lacrosse

 O que aparenta ser uma mistura de futebol, hockey, tênis e handebol na verdade é o Lacrosse, um esporte super dinâmico e muito divertido, bastante comum no Canadá e Estados Unidos, a história conta que o esporte teria origem indígena com os Iroqueses que praticavam uma versão sem regras do lacrosse como um ritual de glória e bravura, enfim, o esporte esteve no cronograma olímpico em 1904 e 1908, recentemente os jogadores têm se empenhado para uma volta ao programa.

Pólo

O esporte conduzido sobre cavalos com o objetivo de marcar gols com uma pequena bola através de um taco de madeira, teve sua participação nas olimpíadas nas edições de 1900 até 1936, porém por ser um esporte que envolve cavalos, os cuidados com os mesmos acabavam nem sempre sendo efetivos, bem como os gastos eram excessivos, se optou por excluir a modalidade.
 

 O Submundo do esporte existe?
Fugindo da curva da elegância e nobreza que envolvem os níveis olímpicos ou profissionais, existe uma beleza cômica quando a gente percebe que a relação entre o homem e o esporte profunda e mergulhamos nos resultados da junção criatividade + esporte, e para saber um pouco mais sobre a capacidade do ser humano em se superar, essa última seção têm 3 esportes bizarros que você provavelmente não sabia que existia:

 *Vale lembrar que essas não são modalidades olímpicas

 Toe Wrestling:  

Sim, uma guerra de dedos…….de pé!
Os britânicos têm até campeonato nacional e Alan Nash, um dos maiores campeões, alega que já quebrou 9 dedos em competições, e em uma delas (1997) quebrou 4, ajeitou eles no intervalo e saiu como campeão naquela edição.

Extreme ironing: 

Isso mesmo, eles estão passando roupa. Essa atividade de casa virou esporte radical, a passagem de roupa extrema convoca esportistas para surpreenderem os jurados na competição de quem passa roupa no ambiente mais radical.

Boxe Xadrez:

O Chess-boxing se tornou real quando, inspirado por Iepe um artista holandês, a modalidade mescla a agilidade e a força do box com a concentração e raciocínio do xadrez. Com 6 rodadas de xadrez e 5 de boxe, a vitória é dada por nocaute ou no xeque-mate.

Por hoje é isso, lembre sempre que esporte é bom, e sair para treinar é só começar!

Olá!

Gostamos de manter você bem informado, por isto cadastre aqui seu email para continuar a acessar nosso blog.


Ao assinar, você concorda com a nossa política de privacidade.

Inscrição realizada com sucesso!
Este e-mail já foi registrado.