4 Passos para fortalecer seu pulmão

4 Passos para fortalecer seu pulmão

Quando a gente decide sair para se exercitar, seja uma caminhada ou um exercício de maior intensidade, logo que começamos a pegar ritmo nosso corpo começa a sentir necessidade de captar oxigênio e eliminar gás carbônico, o que acontece em escalas variadas de acordo com a intensidade do treino.

O problema é que nem todo mundo tem instrução clara sobre como respirar corretamente, e a desinformação acaba fazendo com que o pessoal que está iniciando sofra um pouquinho e chegue rapidamente naquela parte da corrida em que o corpo começa a cansar, o fôlego começa a faltar e as vezes até a vista vai ficando embaçada.

A razão disso está ligada à capacidade respiratória que cada pessoa possui, e um dos famosos modos de conhecer e amplificar a dinâmica de respiração é através do Vo2 Max, vamos falar um pouquinho mais sobre ele mais adiante aqui no blog, mas para ir bem do início mesmo, queremos esclarecer uma pergunta muito recorrente:

De onde vem aquela dor abdominal no comecinho da corrida?
Essa parada logo no começo das corridas ou caminhadas muitas vezes acontece por conta de pontadas no canto da barriga, esse incômodo na verdade é, na grande maioria das vezes, o diafragma denunciando que o oxigênio não está sendo inalado da forma correta, nas outras vezes é resultado da ingestão de alimentos logo antes do treino, geralmente se comemos algo um pouquinho mais pesado ocorre de aparecer uma dorzinha na barriga também. O que fazer para evitar que isso aconteça afinal?

Respirar corretamente!
Sim, existe um jeito certo de respirar e principalmente quando estamos colocando nosso corpo em um novo ritmo, a respiração é força motriz para fazer o exercício render. A execução errada faz com que o diafragma - que é o principal músculo envolvido no cuidado da respiração - canse e acabe sentindo a dor, sendo assim, respirar fundo pelo nariz e soltar pela boca é a indicação prevalente para evitar esse processo e deixar que o oxigênio trace o caminho correto. 

Mas e aí, como fazer para ampliar essa capacidade do oxigênio?
 Aqui vão 4 dicas para a corrida render mais enquanto seu pulmão vai se fortalecendo são:

Acelerar gradativamente: Começar com uma caminhada e ir passando para um trote e depois um movimento mais firme e acelerado é com certeza uma opção melhor do que sair correndo de primeira.

Marcar a respiração: Para começar a pegar ritmo uma boa opção é respirar de acordo com a passada, por exemplo, a cada 3 passos puxando o ar pelo nariz, os outros 3 serão soltando o ar pela boca.

Constância: Manter a frequência vai agregando força e resistência para o físico além de estabelecer um hábito positivo, também fortalece a capacidade para estar sempre indo mais longe.

Cuidar da saúde do pulmão: O uso de cigarros, vapers e narguiles são prejudiciais a saúde pulmonar, desse modo evitar o uso desses, bem como se policiar para manter a respiração nasal (a respiração pela boca nos coloca em um grande risco de termos o organismo invadido por alguma bactéria).

Outra técnica para a expansão da capacidade pulmonar é através do Vo2 Máximo

O que é isso?
O Vo2 (Volume de Oxigênio Máximo) aponta qual a capacidade máxima respiratória do atleta - ou projeto de atleta - permitindo com que ele saiba quanto de oxigênio seu corpo consegue absorver durante um exercício aeróbico, registrando suas propensões e mostrando se o mesmo possui ou não um bom desempenho na resistência e recuperação muscular. 

De um jeito mais específico, o VO2 é uma projeção bem detalhada da atividade aeróbia que, de acordo com os sistemas individuais de energia, entrega o resultado do desempenho através de testes com bike e ou corridas de longa distância. 

Vo2 alto ou baixo...
Quando alto aponta para uma boa saúde, estável, resistente, firme e em sua maioria com a imunidade bem regulada. Um bom resultado mostra também que os riscos de doenças cardiovasculares estão baixíssimos, assim como depressão, câncer e diabetes tipo 2.

O teste se divide em direto e indireto, geralmente o direto é recomendado por um médico, feito com uma bicicleta ergométrica ou esteira, o exercício é feito com o uso de um ergoespirômetro e eletrodos, ocorrendo a avaliação de problemas pulmonares ou cardíacos.
Já o indireto é feito de um modo mais sucinto, através de uma equação, os resultados de alguns treinos, em uma análise de resistência e dinâmica de distância um treinador obtém o resultado se o VO2 está alto ou baixo.

Se eu não conseguir, o que eu faço?
Embora esses mecanismos sejam excelentes para potencializar a capacidade pulmonar e a resistência física, a grande maioria dos que fazem esses testes são atletas de alta performance pela real necessidade de preparo no condicionamento físico, a sugestão para quem está começando e não tem acesso a acompanhamentos desse porte é a constância, ser firme, não desistir quando o desânimo bater nem quando o cansaço chegar, traçar um plano de sempre ir um pouquinho mais longe e, seguir as dicas aqui do blog e cuidar bem do modo como conduz a respiração já vão te ajudar a colocar o seu pulmão em um novo estágio de saúde e resistência.

Olá!

Gostamos de manter você bem informado, por isto cadastre aqui seu email para continuar a acessar nosso blog.


Ao assinar, você concorda com a nossa política de privacidade.

Inscrição realizada com sucesso!
Este e-mail já foi registrado.