Saiba como tratar e diferenciar os principais tipos de sinusite

Saiba como tratar e diferenciar os principais tipos de sinusite

Os sintomas da sinusite se manifestam quando ocorre uma inflamação da mucosa dos seios da face. É comum que haja dor de cabeça e no rosto, bem como secreção nasal, apesar de os sintomas variarem um pouco, de acordo com a causa da doença e com a saúde e a sensibilidade de cada pessoa.

Em geral, suspeita-se de sinusite quando há dois ou mais deste sintomas:

  • Dor na região da face, especialmente nas maçãs do rosto, ao redor do nariz e em volta dos olhos;
  • Dor de cabeça ou na face que piora ao abaixar a cabeça ou deitar;
  • Corrimento e congestão nasal, que pode ser branca, amarelada ou esverdeada;
  • Tosse, principalmente ao deitar;
  • Febre acima de 38 ºC;
  • Mau hálito, que piora à medida que outros sintomas ficam mais intensos.

Como diferenciar cada tipo de sinusite? A inflamação que provoca a sinusite tem diversas causas:

  1. Sinusite viral
    É a mais comum. Devido a um resfriado simples, surge em pessoas com sintomas de corrimento nasal, geralmente transparente ou amarelado, mas que também pode ficar esverdeado.

Este tipo de sinusite causa sintomas mais leves ou suportáveis e, quando há febre, não costuma passar dos 38 ºC. Além disso, a sinusite viral pode estar acompanhada de outros sintomas, como dor na garganta, conjuntivite, espirros e obstrução do nariz.

  • Sinusite alérgica
    Os sintomas de sinusite alérgica são parecidos com os da sinusite viral, entretanto acontecem em pessoas que tiveram uma crise recente de rinite alérgica ou que se expuseram a situações que costumam causar espirros e alergias, como frio intenso, ambiente seco, mexer em roupas guardadas ou livros velhos, por exemplo.

É comum que as pessoas que apresentam uma crise de alergia tenham, também, coceira no nariz e na garganta, espirros frequentes e vermelhidão dos olhos.

  • Sinusite bacteriana
    A sinusite causada por uma infecção por bactéria acontece em apenas 2% dos casos da doença e costuma ser diagnosticada quando há febre acima de 38,5 ºC, forte dor na face e secreção de aspecto purulento pelo nariz e garganta, ou quando os sintomas, mesmo que leves, persistem por mais de 10 dias.
  • Sinusite fúngica
    A sinusite fúngica costuma estar presente em casos de pessoas que têm uma sinusite persistente, que não melhora com o tratamento e cujos sintomas se arrastam por muito tempo. Nesses casos, pode haver sintomas localizados em apenas uma região da face e, geralmente, não provocam outros sintomas, como secreção pelo nariz e febre.

Diagnóstico
Para diagnosticar a sinusite, basta a avaliação de um médico clínico geral ou otorrino. Outros exames – como análises de sangue, raio-X e tomografia – não são necessários, mas podem ser úteis em casos nos quais há dúvida sobre o diagnóstico ou a causa da sinusite.

De acordo com o tempo de duração da infecção, a sinusite pode ser dividida em: Aguda, quando dura até quatro semanas;
Subaguda, quando dura entre quatro e 12 semanas;
Cronica, quando a duração é maior que 12 semanas, com micro-organismos resistentes ao tratamento, que pode se prolongar por vários anos.

Tratamento
Na presença dos sintomas que indiquem sinusite e que estejam acompanhados de febre, secreção purulenta pelo nariz e dor intensa na face, deve-se procurar o atendimento do clínico geral ou otorrino, que irá recomendar o tratamento adequado para a doença.

Geralmente, se há apenas sintomas de resfriado ou que melhoram com cuidados em casa, em até 7 a 10 dias, é recomendado o uso de medicamentos para aliviar os sintomas, como analgésicos, anti-inflamatórios ou corticoides, já que provavelmente se trata de uma sinusite viral ou alérgica.

Entretanto, se os sintomas são intensos, com presença de febre, ou não melhoram em 10 dias, pode ser necessário o uso de antibiótico, como amoxicilina, indicado pelo médico.

Deixe uma resposta

Fechar Menu
0
×

Carrinho